Imagine que você fez um empréstimo consignado já há um tempo e as parcelas começaram a pesar no bolso e até a prejudicar outros planos. E aí você começa a se perguntar o que é possível fazer para reduzir essa conta das suas despesas mensais.
Saiba que uma das opções, e que pode trazer vantagens, é investir na portabilidade da dívida, ou seja, transferir o saldo devedor do empréstimo consignado para outra instituição, que pode ser tanto financeira, banco ou correspondente bancário.
Entre as vantagens da transferência do empréstimo consignado estão: a troca de juros maiores por juros menores e a possibilidade de forçar uma renegociação com a sua financeira, banco ou correspondente bancário por condições melhores.
Ao optar pela portabilidade o primeiro passo a seguir é analisar os juros das instituições que oferecem essa opção e compreender os prazos, que não devem ser diferentes do contrato já existente.
Para ter a certeza de que está fazendo a escolha certa vale calcular o total a prazo do contrato de portabilidade do empréstimo consignado. Essa opção é vantajosa apenas quando não há acréscimo no valor final da dívida e também quando o prazo de pagamento não sofre alteração.
Por exemplo, se você tem um empréstimo consignado no valor total de R$ 5 mil com as condições abaixo:
Prazo: 24 meses

Antiga instituição credora Nova instituição credora
Valor da dívida R$ 3.561,99 Valor da dívida R$ 3.561,99
Parcelas restantes 15 Parcelas restantes 15
Taxa de juros 2,50% Taxa de juros 1,50%
Prestação R$ 287,69 Prestação R$ 266,95
CET 19,55%

No exemplo acima você obtém uma redução de R$ 20,74 na parcela mensal.
Prazos de liberação
Após a decisão tomada vale ficar atento aos prazos estipulados para que as operações sejam concretizadas. O limite para realizar a portabilidade é de 15 dias. Ao fazer o pedido a instituição que detém o seu contrato de empréstimo consignado tem até 5 (cinco) dias para tentar realizar uma contraproposta e não pode, de forma alguma, cobrar taxas pelo processo de portabilidade.